Mais de cinco mil pessoas passaram, entre sexta-feira e ontem, pelo Salão Auto e Moto de Braga e Salão Mobilidade, que decorreu no Altice Forum Braga.
“Fazemos um balanço muito positivo. Em 2019, que foi a última edição, foram registadas nove mil pessoas. Desta vez passamos a barreira das cinco mil entradas e isso é muito importante. Significa que as pessoas aderiram à iniciativa”, disse Carlos Silva, administrador executivo da InvestBraga, entidade organizadora do certame.

Em termos de volume de negócios, a organização não tinha, até ao fim do dia de ontem, qualquer retorno por partes das marcas e concessionários presentes, mas Carlos Silva está convencido que tudo correu pelo melhor nesse aspecto. “Ainda não tivemos qualquer contacto por parte das marcas presentes sobre o volume de vendas, mas registamos com agrado que muitas das pessoas manifestaram vontade de comprar carros. A oferta era boa e as pessoas puderam apreciar carros de grande prestígio”, indicou Carlos Silva.

O responsável pela InvestBraga reconheceu, no entanto, que muitas das marcas não tinham carros disponíveis para exposição, principalmente dos modelos mais recentes.
Uma das grandes atracções do certame foram as motos e as bicicletas. “As duas rodas e tudo o que esteve ligado à mobilidade sustentável foi um grande atractivo”, admitiu o administrador executivo da InvestBraga. Até porque para o ano a aposta vai ser no salão da Mobilidade.

“Para o ano vamos fazer a transição para a feira da mobilidade. Vamos dar a conhecer a mobilidade em duas rodas, e vamos ter mais oferta de serviços do que a que tivemos este ano.
Os carros antigos também chamaram a atenção de muitos visitantes.

“As pessoas puderam ver carros antigo, de outras épocas e que já não se vêm muito a circular nas nossas estradas. Há muita gente que gosta de carros antigos”, admitiu Carlos Silva. Nesse aspecto, a organização também promete mais novidades no próximo ano . “Este ano só tivemos os Minis, os Citroens e os Renaults, mas no próximo ano vamos ter mais carros antigos”, prometeu o administrador executivo da InvestBraga.
Carlos Silva referiu ainda que este certame pode servir de ‘espelho’ para a Agro (feira de agricultura icónica de Braga). “Embora sejam de sectores diferentes, neste salão já pudemos perceber que as pessoas começam a querer sair de casa, embora algumas ainda tenham receio por causa da pandemia. Esperemos que voltem para a Agro”, desejou Carlos Silva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here