A formação de Barcelos venceu em casa do Tondela por 3-0, impondo a quarta derrota consecutiva ao conjunto tondelense e colocou-se, à condição, em sétimo lugar da tabela classificativa.

O Gil Vicente venceu hoje em casa do Tondela por 3-0, no jogo que abriu a 16.ª jornada da Primeira Liga de futebol, resultado que lhe permite isolar-se, à condição, no sétimo lugar da prova.

Os golos da equipa gilista foram anotados já na segunda metade, primeiro por Murilo, aos 57 minutos, tendo Matheus Bueno, aos 77, ampliado a vantagem da sua equipa e Boubacar Hanne, aos 90+3, fechado a contagem, impondo a quarta derrota consecutiva ao conjunto tondelense.

Com esta vitória, o Gil Vicente sobe provisoriamente ao sétimo posto, com 23 pontos, enquanto o Tondela ocupa o 15.º lugar, com 12, um posto acima da zona de despromoção.

Ricardo Soares, treinador do Gil Vicente, em conferência de imprensa, após a vitória diante do Tondela (0-3), em jogo da 16ª jornada da I Liga:

[É um treinador orgulhoso do trabalho da sua equipa?]: «É uma vitória justa do Gil Vicente e [estou] orgulhoso, principalmente, dos meus jogadores. Tínhamos consciência de que íamos defrontar uma equipa com bastante qualidade individual e coletiva. Na primeira parte, tivemos uma posse de bola avassaladora e fizemos correr o Tondela, que se apresentou muito organizado. Na segunda parte, fomos mais agressivos ofensivamente e acabámos por vencer uma excelente equipa, que joga bem, bem orientada e que nos dificultou ao máximo.»

[Como preparou os dois médios, Pedrinho e Vítor Carvalho, para limitar o jogo interior do Tondela?]: «O pivô defensivo também tem muita qualidade e tem um jogo posicional muito forte. Sabíamos que o Tondela tem uma primeira fase forte. Pressionámos alto e com qualidade. Até podíamos ter feito mais golos, mas não acho que fosse correto. O 0-2 seria suficiente pelo que o Tondela é, pelo que fez, pelo compromisso, pelo carácter e pela organização.»

[Mais dez pontos do que na época passada por esta altura. É sinal do crescimento do seu trabalho com a equipa e jogadores?]: «As épocas e os jogadores são diferentes. Gostaria de destacar mais o clube e não o meu trabalho. O futebol é um desporto coletivo. Desde o primeiro dia em que entrei no clube, senti, sempre, um grande conforto, apoio e carinho das pessoas que lideram. Mas o futebol também é muito volátil e temos já um próximo jogo para ganhar. Satisfaz-me ter todas as condições para desenvolver o meu trabalho. O Gil Vicente joga à equipa grande. Não vamos ganhar sempre, há momentos difíceis. Mas o sucesso é repartido por toda a gente. Eu sou uma pequena parte.»