Autarcas de Monção e Ponte da Barca assumem proteção civil

Os autarcas de Monção e Ponte da Barca, vice-presidentes da Comissão Distrital de Proteção Civil de Viana do Castelo, passam a assumir a liderança daquela estrutura, após a nomeação de Miguel Alves para o Governo, foi hoje divulgado.

Contactado pela agência Lusa, a propósito da reunião, hoje do Conselho Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, o presidente da associação que integra os dez concelhos do distrito de Viana do Castelo, Manoel Batista, adiantou que o novo presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil de Viana do Castelo ainda não foi escolhido.

Manoel Batista, que é também presidente da Câmara de Melgaço, adiantou que o assunto não foi analisado na reunião de hoje, prevendo que o assunto venha a ser abordado na próxima reunião daquele órgão.

Segundo o líder socialista da CIM do Alto, até à nomeação do novo presidente “a proteção civil distrital será assegurada pelos dois vice-presidentes, os autarcas de Monção, António Barbosa e, de Ponte da Barca, Augusto Marinho, ambos do PSD.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro, António Costa, propôs ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a nomeação do atual presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, para o cargo de secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, tendo tomado posse do cargo na sexta-feira.

Miguel Alves, natural de Lisboa e licenciado pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, é um dos dirigentes socialistas mais próximos do atual líder do executivo e a sua entrada na equipa de António Costa destina-se a reforçar a coordenação política do Governo.

Rui Lages, o vice-presidente da Câmara de Caminha, de 34 anos, vai assumir, a presidência da autarquia na quarta-feira, na reunião ordinária do executivo, após a renúncia de Miguel Alves, hoje nomeado para secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro.

A reunião camarária de Caminha está prevista para as 15:00, na biblioteca municipal.

Com uma área total de 222 mil hectares, 162 mil hectares área florestal, o distrito de Viana do Castelo é composto por 208 freguesias, 99 das quais (8,9% do total do país) são consideradas prioritárias na prevenção de fogos florestais e onde estão identificados 1.185 lugares prioritários.

O distrito de Viana do Castelo conta com 11 corporações de bombeiros voluntários, sendo que o concelho de Caminha é o único que tem duas destas corporações. Já Viana do Castelo, além de uma corporação de bombeiros voluntários, dispõe de um corpo de bombeiros sapadores.

De acordo com dados hoje fornecidos à Lusa pelo Comandante Operacional Distrital (CODIS) de Viana do Castelo, Marco Domingues, com base no Recenseamento Nacional dos Bombeiros Portugueses, em Viana do Castelo há 673 Bombeiros, dos quais 647 são do Quadro Ativo e 26 do Quadro de Comando.

Os dados de hoje do Recenseamento Nacional dos Bombeiros Portugueses indicam que a Companhia de Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo conta com 62 bombeiros no quadro ativo e três no quadro de comando.

As 11 corporações de Bombeiros Voluntários totalizam 585 Bombeiros do quadro ativo e 23 bombeiros no quadro de comando.

Dos 585 Bombeiros do quadro Ativo, 222 (38%) têm vínculo profissional à entidade detentora e 363 (63%) têm vínculo voluntário.

Dos 23 Bombeiros do quadro de comando, 13 (57%) têm vínculo profissional à entidade detentora e 10 (43%) têm vínculo voluntário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here