O Governo português recebeu, durante a noite desta quarta-feira, o pedido de ajuda de um português que quer regressar a Portugal com a mulher. A Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas teve ainda indicação que a habitação de um casal português ficou destruída na sequência da explosão.

A Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas continua, na manhã desta quarta-feira, sem indicação de portugueses entre as vítimas mortais ou entre os feridos das explosões que, na terça-feira, abalaram Beirute, capital do Líbano. O Governo registou, porém, o pedido de ajuda de um português que quer regressar a Portugal e tem indicação de destruição da habituação de um casal de emigrantes.

Fonte oficial da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas indicou que, até ao momento, não há qualquer indicação de portugueses entre as vítimas mortais “ou entre os feridos, quer graves, quer ligeiros”.

Porém, o gabinete de emergência consular recebeu, durante a noite desta quarta-feira, o pedido de ajuda de um cidadão português que é casado com uma libanesa e que quer regressar a Portugal. Este pedido, sublinhe-se, já tinha sido iniciado antes da explosão na capital do Líbano, mas foi agora reforçado pelo português, uma vez que a mulher necessita de um visto das autoridades portuguesas.