A Direcção do Vitória decidiu suspender a iniciativa de convidar 40 associados para assistirem aos jogos caseiros da I Liga no camarote presidencial do Estádio D. Afonso Henriques. A medida foi anunciada esta tarde, depois de no passado dia 26 a Liga Portugal ter comunicado aos clubes que “pela actual situação epidemiológica que o País apresenta não pode a DGS concordar com a presença de convidados”.

Neste processo, o Vitória recorda que no passado dia 16 recebeu da Autoridade Regional de Saúde do Norte “a indicação de que, em função da situação epidemiológica, não seria permitida a presença de público no estádio”. “Considerando que nem as autoridades de saúde, nem a Liga Portugal colocaram em causa o disposto no artigo 2.6 do Comunicado Oficial n.º 12 – e que refere apenas que as tribunas presidenciais podem ter uma lotação máxima de 50% da sua capacidade – o Vitória SC prontificou-se a assegurar a testagem dos sócios a convidar, mostrando também disponibilidade para a aplicação das medidas entendidas como necessárias para a viabilização da iniciativa pretendida pela Direção”, acrescenta o clube, que acabou por suspender a iniciativa depois da comunicação da Liga Portugal.

O Vitória entende que este é um processo que “merece do Clube uma reflexão crítica que não deixará de ser partilhada nos momentos e nos locais próprios”, e que “o desígnio comum de permitir o regresso dos adeptos aos estádios exige um redobrado sentido de responsabilidade e, não obstante as discordâncias, a contribuição para um esforço coletivo que viabilize tal permissão”.

O Vitória “reconhece e enaltece o comportamento dos seus sócios e adeptos ao longo dos últimos meses”, mas, ao mesmo tempo, “não pode deixar de lamentar que sobre o público do futebol recaiam hoje restrições que não se aplicam a outros eventos de massas e que geram rótulos e estereótipos que nem em contextos de pandemia podem ser admitidos”.