Três da manhã é a melhor hora para ver o fenómeno a sudeste, com 50 estrelas cadentes por hora.

Os restos do cometa Halley, que passou perto da Terra em 1986, vão ser visíveis na madrugada desta sexta-feira. Apesar da atividade desta chuva de meteoros, conhecidos como ‘Eta Aquáridas’, decorrer entre 19 de abril e 28 de maio, o dia 6 de maio é o pico desta chuva.

Para além disso, sexta-feira conta com as condições meteorológicas certas para um céu limpo e sem obstruções, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O Observatório Astronómico de Lisboa informa que, por hora, o espectador pode contar com 50 meteoros, a 66 quilómetros por segundo.

O nome destas estrelas cadentes, Eta Aquáridas, origina da constelação do Aquário.

Por isso, por voltas três horas da manhã de sexta-feira, a sudeste, é altura de levantar os olhos e contar com uma chuva de estrelas cadentes.

Este mês vai ser ainda visível um eclipse total da Lua, no dia 16. A partir das 04h29, a lua vai ficar totalmente coberta. Às 05h12, atinge o seu máximo de eclipse, durante 42 minutos.

Será possível observar Júpiter ao amanhecer, na direção sudeste, na constelação de Peixes, e Saturno na constelação de Capricórnio. A magnitude de Júpiter ao longo do mês varia de -2,2 a -2,1 e a de Saturno de 0,8 a 0,9. Note-se que, no dia 22 de maio, Saturno estará a 4°N da Lua pelas 05h00. Urano e Neptuno vão permanecer durante o resto do ano na constelação de Carneiro e de Peixes, respetivamente, mas para observá-los terá de recorrer a um telescópio.