É um entre cinco deputados PSD que irão presidir a uma comissão durante a legislatura

O PSD indicou esta quarta-feira o bracarense Firmino Marques, que deixou a vice-presidência da Câmara de Braga para se estrear como deputado nesta legislatura, para liderar a Comissão de Educação, Ciência, Juventude e Desporto, anunciou o partido. É um entre cinco deputados PSD que vão presidir a uma comissão durante a legislatura.

Firmino Marques irá liderar as sessões perante 24 deputados que estarão presentes nesta comissão, como é o caso de João Cotrim Figueiredo, da Iniciativa Liberal, que já confirmou presença, e de um dos quatro representantes do PAN, para além dos partidos tradicionais da Legislatura.

O bracarense sucede a Alexandre Quintanilha (PS), que liderou aquela comissão na anterior legislatura, e a Abel Baptista (CDS), que presidiu à mesma durante o último Governo PSD/CDS (2011-2015).

As diversas comissões permanentes vão tomar posse na tarde de quinta-feira entre as 15:00 e as 16:00 no parlamento.

Freguesias, Obras Municipais, Políticas Sociais e Proteção Civil foram os pelouros de Firmino Marques durante o período (2013-2019) em que foi braço direito de Ricardo Rio, edil de Braga.

Parece, agora, reabraçar competências, depois de doze anos no currículo como presidente da mais numerosa, em termos de habitantes, freguesia da cidade (e concelho) de Braga, onde lidou de perto com assuntos que abordará durante esta comissão.

Sentado atrás de Telmo Correia (CDS, eleito por Braga), ao lado de Rui Silva (PSD, eleito por Braga), Firmino Marques ficou na ponta mais à direita do hemiciclo, onde tem seguido com atenção as peripécias de André Ventura (Chega), que se senta na fila em frente, ao lado dos centristas.

Restantes comissões

Respeitando o método de Hondt, o PS vai presidir a oito das 14 comissões, cabendo cinco direções de trabalhos ao PSD e uma ao BE.

O antigo líder parlamentar Luís Marques Guedes irá presidir à Comissão de Assuntos Constitucionais, enquanto o histórico autarca de Viseu Fernando Ruas liderará a da Descentralização e Poder Local.

Para presidir à Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas e Habitação, o PSD escolheu o deputado António Topa, vogal da Comissão Política Nacional e ex-líder da distrital de Aveiro, círculo pelo qual é eleito há duas legislaturas.

Para presidente da Comissão de Trabalho e Segurança Social o PSD escolheu Pedro Roque, líder dos Trabalhadores Sociais-Democratas e deputado desde a IX legislatura, tendo sido eleito por Leiria nas últimas legislativas.

Na anterior legislatura, entre 2015 e 2019, a Assembleia da República tinha 12 comissões permanentes.

Agora, o número subiu para 14 com as novas Comissão de Administração Pública, Modernização Administrativa, Descentralização e Poder Local (presidida pelo PSD) e Comissão de Transparência e Estatuto dos Deputados (PS), que passa a incluir a subcomissão de Ética.

As 14 comissões parlamentares permanentes:

– Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, 25 membros, presidência PSD.

– Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, 23 membros, presidência PS.

– Comissão de Defesa Nacional, 23 membros, presidência PS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here