Orientação define um conjunto de medidas a adotar em salas de espetáculos, de exibição de filmes e similares; livrarias, arquivos e bibliotecas; museus, palácios e monumentos e na programação ao ar livre.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) publicou esta quinta-feira uma orientação destinada à utilização de equipamentos culturais, com o objetivo de prevenir a transmissão da Covid-19 e identificar os procedimentos a adotar perante um caso suspeito. 

O documento em causa define um “conjunto de medidas a adotar antes da abertura dos equipamentos culturais”, entre as quais “a necessidade de um Plano de Contingência com a definição de uma área de isolamento e dos circuitos para chegar e sair da mesma, bem como os procedimentos a adotar perante um caso suspeito”. 

De acordo com a orientação agora publicada, os colaboradores  dos espaços culturais “devem ter conhecimento, formação e treino para reconhecer sinais e sintomas compatíveis com a Covid-19” e “adotar as medidas de prevenção e controlo da transmissão da doença”.

A orientação estabelece que devem ser colocados dispensadores de solução assética à base de álcool em diversos pontos, para fácil acesso dos colaboradores e utilizadores, bem como, “sempre que possível, afixados cartazes e materiais informativos com as medidas de prevenção e controlo da doença”.

Entre as medidas gerais, a orientação prevê que sejam implementadas medidas de distanciamento físico de dois metros entre as pessoas.