SC Braga perde em Vizela e é eliminado da Taça de Portugal

O SC Braga não vai repetir a vitória na Taça de Portugal, conquistada na final da última época, frente ao Benfica (2-0). Depois de eliminada na Taça da Liga, a equipa de Carlos Carvalhal foi afastada pelo Vizela, que venceu, por 1-0, este encontro dos oitavos de final.

Ricardo Horta até se apressou a declarar as intenções dos forasteiros, logo nos primeiros segundos do encontro, mas foi a equipa de Álvaro Pacheco a fazer funcionar o marcador: Nuno Moreira apontou ao ângulo, ainda de muito longe, e fez um golaço (9’).

A resposta não tardou, mas André Horta e Diogo Leite foram contrariados pela estreia iluminada de Pedro Silva, guarda-redes dos locais. Para ajudar à instabilidade arsenalista, Abel Ruiz teve entrada duríssima sobre Nuno Moreira – na continuação do lance, Tormena negou os festejos de Cassiano quase sobre o risco – e foi expulso (28’).

Embora com menos um homem, os visitantes procuraram reagir na segunda parte, mas nem André Horta nem Roger, muito ativo, conseguiram alvejar a baliza com sucesso. Nuno Moreira é que tentou voltar a ser feliz em mais duas ocasiões, com Kiko Bondoso a assinar outra ameaça.

A fechar, Nuno Almeida voltou a puxar do cartão vermelho para mostrá-lo a André Horta, o que deixou o SC Braga com apenas nove elementos.

Desta forma, os vizelenses avançam para os quartos de final da competição pela terceira vez, aguardando pelo sorteio agendado para a próxima segunda-feira.

Declarações de Carlos Carvalhal, treinador do Sp. Braga, na sala de imprensa do Estádio do Vizela, após a derrota do Sp. Braga frente ao Vizela (1-0), que vale a eliminação da Taça de Portugal:

«Parabéns ao Vizela por ter passado à próxima eliminatória. Parabéns aos nossos adeptos que nos apoiaram sempre. Um abraço aos meus jogadores pela atitude do jogo de hoje. Na primeira vez que o Vizela vai à baliza faz um excelente golo. Tivemos uma boa reação, depois da expulsão controlámos o jogo, mas com dificuldade para sair para o ataque. Alterámos ao intervalo, encostámos o Vizela atrás, tivemos várias oportunidades e ao correr riscos o Vizela também podia ter marcado. Mesmo com nove continuámos a ter bola, com melhor definição podíamos ter chegado ao empate. Estou insatisfeito com o resultado, extremamente orgulhoso com a atitude da minha equipa».

[Crise de identidade] «Temos criado muitas oportunidades; falta materializar em golos. O futebol é um jogo de eficácia, temos de construir e materializar. Ainda hoje com nove conseguimos lá chegar. Há duas semanas não mexia com os jogadores, ganhámos por seis ao Santa Clara, e por quatro ao Vizela. Tivemos várias baixas, vamos recuperar bem os jogadores e vamos acabar bem campeonato».

Declarações de Álvaro Pacheco, treinador do Vizela, na sala de imprensa do Estádio do Vizela, após o triunfo frente ao Sp. Braga (1-0), que vale a continuidade na Taça de Portugal:

«Para sermos capazes de encurtar diferenças para o jogo que já fizemos com o Braga teria de passar pela concentração, a nossa tarefa, no nosso comportamento e na nossa ideia de jogo. Foi isso que aconteceu, estrategicamente queríamos entrar fortes para marcar cedo, porque seria mais fácil controlar o jogo, frente a uma situação instável do Braga. Entrámos fortes, marcámos, depois conseguimos controlar o jogo e sabíamos que teríamos de fechar os espaços e que o Braga é forte. Tínhamos de provocar a dúvida ao Braga, e conseguimos. Durante o jogo fomos capazes de alterar aquilo que é a nossa pressão para podermos chegar à baliza do Braga e fazer o segundo jogo. As incidências do jogo caíram para o nosso lado, mas mesmo assim o Braga nunca desistiu e mesmo com menos um jogador estiveram sempre muito ligados no jogo. Com um jogador a mais, se baixássemos os níveis de concentração, com as dinâmicas que estávamos a ter íamos sofrer. Agarrámo-nos à nossa ideia e continuamos nesta prova. Correu tudo bem hoje».

Declarações de António Salvador, presidente do Sp. Braga, na sala de imprensa do Estádio do Vizela, após a derrota do Sp. Braga frente ao Vizela (1-0), que vale a eliminação da Taça de Portugal:

«Quero dar os parabéns ao Vizela pela passagem à eliminatória seguinte. Hoje estamos tristes, os nossos sócios e adeptos estão tristes, mas na vida e no futebol têm de estar preparados para ganhar e perder. Se há uma semana caímos com estrondo, hoje não conseguimos vencer uma equipa muito boa. Tivemos uma equipa com grande caráter e atitude, com dez e depois com nove. Mesmo com dez, pela expulsão merecida do Abel Ruiz, fomos melhores. Não concordamos com a expulsão do André Horta. Mesmo com nove procuramos sempre a vitória. Estamos frustrados, mas com este caráter e vontade e com o que os jogadores mostraram dentro do campo vamos ganhar muitas mais vezes do que as que temos ganho. Boas festas aos nossos adeptos, não foi um dia feliz, há que levantar a cabeça. É com esta atitude que se fazem grandes equipas».

[Continuidade de Carlos Carvalhal] «Não vale a pena voltar a fazer perguntas. É um ponto de honra: o mister Carvalhal vai continuar no Braga, é com estes que vamos até ao fim, daqui para a frente vamos dar as respostas que não temos dado até agora».

[Metas depois de perder as Taças] «Não é aquilo a que estamos habituados, somos detentores da Taça de Portugal, é uma prova que todos os anos queremos chegar à final e vencer; nunca gostamos de perder, mas sabíamos que vínhamos jogar a um campo difícil com um adversário difícil. Depois tivemos a infelicidade de perder um jogador, ainda mais difícil se tornou».

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio do Futebol Clube de Vizela.

Vizela – SC Braga, 1-0.

Ao intervalo: 1-0.

Marcador:

1-0, Nuno Moreira, 09 minutos.

Equipas:

– Vizela: Pedro Silva, Igor Julião (Koffi Kouao, 53), Bruno Wilson, Aidara, Kiki, Marcos Paulo, Alex Méndez (Evrard Zag, 78), Samu, Kiko Bondoso, Nuno Moreira (Francis Cann, 78) e Cassiano (Kévin Zohi, 86).

(Suplentes: Ivo Gonçalves, Koffi Kouao, Ofori, Raphael Guzzo, Evrard Zag, Francis Cann e Kévin Zohi).

Treinador: Álvaro Pacheco.

– SC Braga: Matheus, Tormena, Raul Silva (Bruno Rodrigues, 46), Diogo Leite (Roger, 67), Yan Couto, André Horta, Lucas Mineiro (Al Musrati, 46), Francisco Moura, Lucas Piazón (Mario González, 46), Ricardo Horta e Abel Ruiz.

(Suplentes: Tiago Sá, Fabiano, Bruno Rodrigues, Al Musrati, Gorby, Roger e Mario González).

Treinador: Carlos Carvalhal.

Árbitro: Nuno Almeida (AF Algarve).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Francisco Moura (45+3), Igor Julião (51), Bruno Rodrigues (79) e Ricardo Horta (89). Cartão vermelho direto para Abel Ruiz (29) e André Horta (89).

Assistência: 1.487 espetadores.