A campanha eleitoral do CDS vai apostar em ações de rua, visitas a mercados, almoços e jantares, com o líder, Francisco Rodrigues dos Santos, a marcar presenças em todos os distritos e várias vezes em Lisboa e Porto.

e acordo com fonte oficial do CDS-PP, a volta nacional “passará por todos os distritos do continente, sendo que Lisboa, Porto, Braga e Aveiro terão a presença do líder do partido mais do que uma vez”.

Não está prevista, no entanto, a deslocação de Francisco Rodrigues dos Santos aos arquipélagos da Madeira e dos Açores, de acordo com o programa provisório disponibilizado aos jornalistas.

A campanha centrista terá uma média de três ações por dia, “essencialmente de rua, em feiras e mercados”, mas estão previstos também almoços e jantares com intervenções do líder, “condicionados à evolução da pandemia”, explicou à Lusa fonte oficial do CDS-PP.

O líder centrista arranca a volta nacional no primeiro dia de campanha oficial, no domingo, com ações nos distritos de Leiria, Santarém e Castelo Branco.

O dia começa com uma visita a uma feira tradicional, seguido de ações na praça de touros de Santarém e nas docas de Castelo Branco.

Na segunda-feira, a caravana centrista passa por Portalegre e está previsto um almoço com intervenção do presidente do partido, em Évora.

Depois, Francisco Rodrigues dos Santos ruma a Lisboa para participar à noite no debate da RTP com todos os partidos com assento parlamentar.

O dia seguinte arranca no distrito de Lisboa, com uma visita ao Tagus Park, em Oeiras, e continua para Beja, terminando em Albufeira, distrito de Faro, com um jantar-comício.

Na quarta-feira, dia 19, o CDS arranca a campanha em Setúbal, com a visita a um mercado e um almoço, seguindo depois para Lisboa, onde está previsto um encontro com jovens e um jantar.

No dia seguinte, a volta nacional do CDS passa por Leiria, para um contacto com a população, por Coimbra, e está previsto um jantar com intervenção do presidente no distrito de Aveiro.

A sexta-feira será dedicada ao distrito do Porto e o sábado a Braga e Viana do Castelo, onde a caravana vai visitar um mercado, contactar com a população e jantar em Ponte de Lima, um dos municípios presididos pelo CDS-PP.

No domingo, 23, o dia arranca no distrito de Vila Real, na Feira do Fumeiro, em Montalegre, e à tarde a caravana volta ao Porto.

O dia seguinte, no arranque da segunda semana de campanha oficial para as legislativas de 30 de janeiro, será dedicado aos distritos da Guarda, Bragança e Viseu, para uma visita ao mercado, contacto com a população e um jantar.

Na terça-feira, o presidente do CDS-PP regressa ao distrito do Porto e na quarta-feira a Aveiro.

Para quinta-feira, dia 27, está prevista uma visita à Feira de Barcelos, na segunda passagem pelo distrito de Braga, e mais ações no Porto, ainda não especificadas.

A campanha do CDS-PP encerra na sexta-feira, em Lisboa, estando previsto que Francisco Rodrigues dos Santos esteja o dia todo no círculo pelo qual é cabeça de lista.

Em 2019, o CDS elegeu cinco deputados — dois por Lisboa, um pelo Porto, um por Braga e um por Aveiro.

Francisco Rodrigues dos Santos estabeleceu como objetivo para estas legislativas o partido crescer e eleger mais deputados do que há dois anos.

Entre as bandeiras dos centristas nesta campanha estão a defesa da liberdade de escolha na saúde, uma descida dos impostos para cidadãos e empresas, a privatização da TAP, o combate à corrupção, evitar a regionalização ou mais segurança dos cidadãos, entre outras, adiantou a fonte oficial.

O CDS quer também passar a mensagem de que um voto no partido “é um voto que conta para a formação de um eventual governo de centro-direita”, com o PSD, um voto “útil e seguro” e não “um voto desperdiçado, ao contrário dos votos em partidos populistas de protesto que nunca somarão para uma maioria que suporte um executivo de direita e, portanto, serão inúteis”, acrescentou a mesma fonte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here