Foi decretada prisão preventiva para o suspeito de ter enviado uma carta com uma bala no seu interior a Marcelo Rebelo de Sousa.

Foi decretada prisão preventiva para o homem suspeito de ter enviado uma carta a Marcelo Rebelo de Sousa contendo uma bala no seu interior, o que o levou a ser ouvido, esta quarta-feira, no Campus da Justiça, avança a CNN Portugal.

O suspeito, ex-militar de 40 anos que tem cadastro e é procurado desde outubro do ano passado, ficará detido na ala psiquiátrica do hospital prisional de Caxias, avança a mesma cadeia televisiva.

Em comunicado divulgado na terça-feira, a Polícia Judiciária adiantou que o detido é “suspeito da prática dos crimes de coação agravada, de extorsão na forma tentada e de detenção de arma proibida”.

As ameaças a Marcelo Rebelo de Sousa surgiram em outubro, numa carta enviada para a Casa Civil em que alegadamente era exigido o pagamento de um milhão de euros para não matar o chefe de Estado — com indicação da conta bancária para onde deveria ser feita a transferência do dinheiro – e que incluía ainda uma bala.

O envelope com a carta e a bala foram então remetidos para a Unidade de Contraterrorismo da PJ e sujeitas a perícias no Laboratório de Polícia Científica.

Segundo a estação televisiva, a operação da PJ envolveu fortes medidas de segurança, uma vez que o suspeito detido terá antecedentes criminais associados a criminalidade violenta. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here