Equipa vimanerense sofre revés frente ao adversário na corrida pela final.

O FC Porto conquistou uma vitória crucial hoje na primeira mão da meia-final da Taça de Portugal de futebol, ao derrotar o Vitória SC por 1-0, num jogo disputado no reduto do adversário. O único golo do encontro foi marcado por Pepê, num cabeceamento certeiro aos 52 minutos, num jogo em que os Dragões se mostraram superiores.

A partida ficou marcada pela intensidade desde o apito inicial, com o FC Porto a demonstrar maior iniciativa em campo, enquanto o Vitória SC adotou uma postura mais cautelosa. Apesar das investidas portistas, o Vitória resistiu bem defensivamente durante a primeira metade do jogo.

No entanto, o FC Porto manteve a pressão e foi recompensado com o golo de Pepê, após uma combinação precisa entre Nico González e o próprio Pepê. A equipa da casa tentou reagir após o golo sofrido, mas os Dragões continuaram a ser perigosos no ataque.

A segunda parte iniciou-se com um aumento de intensidade por parte de ambas as equipas, com o Vitória SC a procurar igualar o marcador. No entanto, apesar do esforço dos vimaranenses, o FC Porto conseguiu controlar as investidas adversárias e ainda criou algumas oportunidades de ampliar a vantagem.

Com esta vitória, o FC Porto parte em vantagem para a segunda mão, agendada para 17 de abril, no Estádio do Dragão. O vencedor deste confronto irá enfrentar o Sporting na final da Taça de Portugal, marcada para 26 de maio, no Estádio Nacional, em Oeiras.

Declarações de Álvaro Pacheco, treinador do Vitória de Guimarães, na sala de imprensa do Estádio D. Afonso Henriques, após a derrota (0-1) frente ao FC Porto, que deixa os vimaranenses em desvantagem na meia-final da Taça de Portugal:

[O que terá de ser feito diferente?] «Defensivamente até estivemos bem, fomos capazes de nos adaptar e não permitimos hipóteses em ataque organizado ao Porto. Faltou sermos mais serenos e audazes no último terço. Temos de saber que espaços ocupar para equilibrar a última pressão. Vamos discutir a eliminatória, acredito que vamos chegar à final».

[Mérito do Porto na pressão, ou a sua equipa podia ter feito mais?] «Há mérito do Porto, que nos reduziu o espaço. Depois houve momentos em que aproveitámos o espaço, faltou estarmos mais serenos e procurar a melhor solução. Os jogadores sempre que recebiam bola estava a levar com pressão, quando tivemos tempo para pensar não conseguimos tomar a melhor decisão. Faltou essa serenidade».

Declarações do treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, na sala de imprensa do Estádio D. Afonso Henriques, após o triunfo por 1-0 ante o Vitória, em jogo da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal:

[Significado de ir à final da Taça, olhando também ao liga:] «Estamos à procura dos títulos possíveis. A Taça é um objetivo, estamos a um jogo – e um jogo extremamente difícil – e o Álvaro Pacheco no final veio dizer-me: “ainda não ganhaste, ainda não passaste” com um sorriso. Mas é normal e é boa esta competitividade do Álvaro. E é uma verdade, está 1-0, temos 90 e poucos minutos para fazer, temos de continuar com a tal humildade, perceber os pontos fortes do Vitória e o que podemos provocar no Vitória para estar no Jamor, estamos no intervalo de uma eliminatória muito difícil.»

[Lances de Gonçalo Borges com Bruno Varela e da mão de Borevkovic:] «Não vi, ainda não vi. O que me deu a entender é uma coisa do campo e as imagens são outra coisa. Depois, se querem a minha opinião, dou como dou sempre. No relvado, o último homem cortando a bola com a mão, penso que é vermelho, mas não sei como estão posicionados os outros. Como treinadores, temos uma visão periférica diferente. Ainda não tive oportunidade de ver, numa próxima oportunidade de falar convosco, vou manifestar a minha opinião, como faço sempre.»

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Vitória SC – FC Porto, 0-1.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores

0-1, Pepê, 52 minutos.

Equipas

– Vitória SC: Bruno Varela, Manu Silva, Borevkovic, Tomás Ribeiro, Bruno Gaspar, Tiago Silva, João Mendes (Kaio César, 60), Tomás Händel, Jota Silva, Ricardo Mangas e Nélson Oliveira (Nuno Santos, 82). 

(Suplentes: Charles Silva, Alberto Baio, Jorge Fernandes, Miguel Maga, Nuno Santos, André André, Zé Carlos, Kaio César e Adrián Butzke).

Treinador: Álvaro Pacheco.

– FC Porto: Cláudio Ramos, Jorge Sanchéz (Grujic, 90+2), Pepe, Otávio, Wendell, Alan Varela, Nico González (Iván Jaime, 83), Pepê, Gonçalo Borges (Romário Baró, 77), Galeno (João Mário, 83) e Evanilson (Namaso, 83).

(Suplentes: Samuel Portugal, João Mário, Fábio Cardoso, Grujic, Iván Jaime, Stephen Eustáquio, Romário Baró, Namaso e Toni Martinez).

Treinador: Sérgio Conceição.

Árbitro: Nuno Almeida (AF Algarve).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Jorge Sanchéz (45+8), Otávio (56), João Mendes (58), Borevkovic (71), Kaio César (79) e Wendell (80).

Assistência: 18.103 espetadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here