O Conservatório Calouste Gulbenkian, em Braga, com mais de 600 alunos, poderá não abrir portas como previsto esta sexta-feira por falta de assistentes operacionais, anunciou esta quinta-feira aquela escola.

A direção da escola está ainda à espera de uma proposta da DGEstE de forma a reforçar o número de funcionários, à semelhança do que aconteceu no arranque do ano letivo passado.

Em declarações à Rádio Universitária, a diretora da escola adianta que faltam, pelo menos, 11 assistentes operacionais para garantir o arranque normal do ano escolar.

Ana Caldeira refere ainda que, dos 21 funcionários afetos à instituição, seis deles não estão ao serviço.

A situação agrava-se quando desses 21 funcionários, seis não estão ao serviço.

“O concurso veio tarde de mais e a escola não tem culpa. Ainda autorizaram dois tarefeiros, que vêm fazer 3 horas e meia, no fundo, dois correspondem a um funcionário”, disse a responsável.

Ana Caldeira quer ver a escola reforçada com mais tarefeiros até ao dia de amanhã de forma a não criar “desequilíbrio na gestão do espaço”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here