Irmã do primeiro infetado é o segundo caso confirmado em Monção

O presidente da Câmara de Monção informou ter sido confirmado, hoje, o segundo caso de infeção no concelho pelo novo coronavírus, uma mulher de 59 anos, irmã do primeiro infetado naquele concelho do distrito de Viana do Castelo.

A informação consta do relatório diário que o autarca social-democrata, António Barbosa, começou a publicar, a partir de sábado, na sua página oficial no Facebook, após a confirmação pelas autoridades de saúde do primeiro caso no concelho, um homem de 64 anos, emigrante em França que regressou no dia 08 de março a Monção.

O homem viajou em autocarro de França para a freguesia de Merufe, em Monção, no Alto Minho.

“Infelizmente, o familiar direto do primeiro caso deu positivo no teste ao Covid-19”, refere o presidente da Câmara de Monção, acrescentando que o número total de pessoas em quarentena é de 25.

Hoje de manhã, contactado pela Lusa, António Barbosa apontou “12 pessoas em quarentena”.

“São cinco elementos dos bombeiros voluntários, um funcionário da Junta de Freguesia de Merufe que atendeu o emigrante, um empresário da construção civil que com ele contactou, o funcionário que recebeu o senhor no centro de saúde, a técnica que efetuou o Raio-X. Nós o que estamos a fazer é: Quando surge um caso, imediatamente nós próprios fazemos o rastreio epidemiológico e contactamos as pessoas”, explicou.

O autarca social-democrata explicou ainda que o objetivo do seu relatório diário “é impedir a circulação informações falsas ou do diz que disse”.

“Só passo a informação que é efetivamente real”, disse.

Além do caso de Monção, no sábado, foram confirmados mais três pessoas infetadas, um casal e a filha do concelho de Arcos de Valdevez. No concelho de Viana do Castelo, no domingo, foi confirmado o primeiro caso, um professor de 60 anos da Escola Básica e Secundária de Barroselas.

Portugal registou hoje a primeira morte, anunciou a ministra da Saúde, Marta Temido.

Trata-se de um homem de 80 anos, com “várias patologias associadas” que estava internado há vários dias no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, disse a ministra, que transmitiu as condolências à família e amigos.