Declarações na ‘flash-interview’ da RTP, após o jogo de preparação Portugal-Espanha (0-0), disputado hoje no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

“Os primeiros 25 minutos foram muito sofríveis. Não nos encontrámos no jogo, a organização estratégica foi sempre errada, a defender estivemos muito mal, a conceder espaços entrelinhas. Quando tentámos sair a jogar, também não encontrámos os caminhos certos.

A Espanha foi claramente superior a nós nesse período. Valeu pela entrega dos jogadores, mas Portugal não é só isso. Depois dos 25 minutos, a nossa exibição foi em crescendo, a equipa começou a perceber melhor o que tinha de fazer em campo, começámos a ter mais bola.

Na segunda parte, o jogo foi diferente, mais repartido, com duas equipas equilibradas, mas com Portugal a ter as melhores oportunidades, duas delas a acertarem nos postes. O resultado acabou por ser justo, apesar de Portugal, pelas oportunidades que teve, poder vencer.

[Jogo com França] Não é uma final. Depois disso, faltam dois jogos. Vai ser um jogo diferente, entre equipas com abordagens diferentes. Espero que Portugal esteja ao seu melhor nível, do primeiro ao último minuto.

[Igualou Luiz Felipe Scolari como selecionador com mais jogos. O que lhe falta?] Ganhar o Campeonato do Mundo.”