Democratas não conseguiram os dois terços necessários para a condenação do ex-Presidente.

Senado dos Estados Unidos chumbou, este sábado, a destituição de Donald Trump, acusado de “incitamento à insurreição” pelos ataques ao Capitólio. Os Democratas não conseguiram os dois terços necessários para a condenação do ex-Presidente: 57 votaram a favor e 43 contra.

Com esta decisão, Trump poderá voltar a candidatar-se à Casa Branca.

Sete Republicanos votaram para que Trump fosse declarado culpado, o que representa o maior número de sempre de senadores do partido de um Presidente alvo de destituição.

Os Democratas encerraram o caso contra Trump hoje, ao desistirem de um plano de última hora para o depoimento de testemunhas, que poderia ter prolongado o processo e atrasado um veredito.

Democratas e Republicanos acabaram por chegar a um acordo para que fosse registada uma declaração de um legislador Republicano sobre um telefonema acalorado no dia do motim, entre Trump e o líder da minoria na Câmara dos Representantes, Kevin McCarthy, segundo a qual os Democratas estabeleceram a indiferença de Trump perante a violência.

“O nosso movimento histórico, patriótico e belo ainda só está a começar”

Entretanto, o ex-presidente dos Estados Unidos já reagiu à absolvição e, desta vez, banido do Twitter, divulgou um comunicado:

“O nosso movimento histórico, patriótico e belo ainda só está a começar. O meu mais profundo agradecimento também a todos os senadores e congressistas dos EUA que se ergueram com orgulho em defesa da Constituição que reverenciamos e pelos princípios legais sagrados no coração do nosso país”, pode ler-se na referida nota, na qual Trump acrescenta que “nenhum Presidente alguma vez teve de passar por algo assim”.

Sete Republicanos votaram para que Trump fosse declarado culpado, o que representa o maior número de sempre de senadores do partido de um Presidente alvo de destituição.

Os Democratas encerraram o caso contra Trump hoje, ao desistirem de um plano de última hora para o depoimento de testemunhas, que poderia ter prolongado o processo e atrasado um veredito.

Democratas e Republicanos acabaram por chegar a um acordo para que fosse registada uma declaração de um legislador Republicano sobre um telefonema acalorado no dia do motim, entre Trump e o líder da minoria na Câmara dos Representantes, Kevin McCarthy, segundo a qual os Democratas estabeleceram a indiferença de Trump perante a violência.

“O nosso movimento histórico, patriótico e belo ainda só está a começar”

Entretanto, o ex-presidente dos Estados Unidos já reagiu à absolvição e, desta vez, banido do Twitter, divulgou um comunicado:

“O nosso movimento histórico, patriótico e belo ainda só está a começar. O meu mais profundo agradecimento também a todos os senadores e congressistas dos EUA que se ergueram com orgulho em defesa da Constituição que reverenciamos e pelos princípios legais sagrados no coração do nosso país”, pode ler-se na referida nota, na qual Trump acrescenta que “nenhum Presidente alguma vez teve de passar por algo assim”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here