O Sp. Braga perdeu esta quinta-feira na Dinamarca, frente ao FC Midtjylland (3-2), em encontro referente à 5.ª jornada do Grupo F da Liga Europa. Com este resultado, a formação arsenalista cai para o segundo lugar, a um ponto do Estrela Vermelha.

A equipa de Carlos Carvalhal vai definir o seu futuro europeu na derradeira ronda, precisamente frente ao Estrela Vermelha, em Braga. Com a derrota desta noite, o Sp. Braga tem de preocupar-se igualmente com os dinamarqueses, que ficaram a um ponto de distância e ainda acreditam no apuramento.

O FC Midtjylland apresentou sempre maior agressividade e intensidade no jogo, justificando o triunfo. Sviatchenko (2m) colocou a equipa nórdica em vantagem, os minhotos chegaram ao empate por intermédio de Ricardo Horta (43m)e Isaksen fez o 2-1 no início da etapa complementar (48m). Galeno ainda anulou a desvantagem com um golaço (85m) mas Evander fixou o resultado final já no período de descontos, na cobrança de um penálti assinalado a Diogo Leite (90+3m).

Com apenas uma mudança no onze em relação à goleada frente ao Santa Clara, para a Taça de Portugal – saiu o lesionado Al Musrati, entrou Lucas Mineiro -, o Sp. Braga fez uma exibição modesta e garantiu apenas superioridade no jogo já a caminho do intervalo. O efeito durou pouco.

Na sequência de um lançamento lateral, logo ao segundo minuto de jogo, o Midtjylland inaugurou a contagem com um golo de Sviatchenko. Dalsgaard desviou de cabeça e o capitão do Midtjylland, aproveitando um corte incompleto de Diogo Leite, finalizou.

Com Diogo Leite como lateral esquerdo e Galeno adiantado no terreno, a formação arsenalista aproveitou debilidades naquele flanco. Esse não era, contudo, o único problema. A grande diferença esteve na intensidade apresentada pelos jogadores da equipa nórdica, que fizeram por exemplo o dobro das faltas dos visitantes. Foi, assim, um Sp. Braga demasiado macio na Dinamarca.

Apresentando um potencial técnico acima da média, a equipa portuguesa conseguiu ainda assim responder por duas vezes às desvantagem no marcador. Em cima do intervalo, na sequência de um grande passe de Iuri Medeiros, o capitão Ricardo Horta finalizou com classe na área (43m). Porém, quando se esperava que a formação orientada por Carlos Carvalhal partisse para cima do adversário, o Midtjylland marcou de novo, ao minuto 48.

Evander abriu na direita para Andersson, que deixou Galeno para trás e tocou de cabeça para o centro. Isaksen, mais rápido que os centrais do Sp. Braga finalizou igualmente de cabeça. Os minhotos tentavam equilibrar o jogo mas ficaram perto de sofrer o 3-1, quando o mesmo Isaksen, depois de tirar Bruno Rodrigues e Tiago Sá do caminho, atirou de forma incrível à trave (69m).

Carlos Carvalhal agitou o jogo, procurando colocar a sua equipa mais perto da baliza contrária. Contudo, seria um artista a solo a garantir novo empate para os visitantes. Galeno, que já tinha atirado ao ferro no início da segunda parte (49m), fez mais uma breve aparição e demonstrou todo o seu talento com um golaço ao minuto 87. O extremo dominou à entrada da área, tocou para dentro e rematou cruzado, sem hipóteses para o guarda-redes contrário.

A técnica parecia garantir o equilíbrio com a força, mas o Midtjylland arriscou tudo nos instantes finais e conquistou uma grande penalidade por pretensa falta de Diogo Leite sobre o recém-entrado Lind. O defesa arsenalista foi imprudente na abordagem ao lance, numa bola que se encaminhava sem grande perigo para a linha de fundo. Evander, o melhor jogador da equipa dinamarquesa, bateu Tiago Sá (90+3m) e retirou a esperança de pontos ao Sp. Braga.

Carlos Carvalhal, treinador do Sp. Braga, comentou desta forma a derrota da sua equipa frente ao Midtjylland, na Dinamarca (3-2), em encontro referente à quinta jornada do Grupo F da Liga Europa. Declarações do técnico à SportTV+:

«Antevíamos um jogo difícil, o Midtjyland entrou bem no jogo, porque conseguiu um golo logo no primeiro minuto. Equilibrámos e dominámos até ao intervalo pelo que se justificava o 1-1. Na segunda parte eles baixaram linhas, tivemos dificuldades. Eles com agressividade positiva, nunca fomos muito apoquentados, mas a realidade é que sofremos novamente um golo logo no início. Não estávamos satisfeitos com o jogo, não estávamos a jogar bem. Alterámos e arriscámos tudo, com dois pontas de lança. Conseguimos o 2-2 e quando nada o fazia esperar, cometemos um erro que nos custou um ponto, o que não estava nas nossas expectativas.»

Sobre o lance do penálti: «É futebol. Os erros fazem parte do jogo. Foi um grande golo o do Galeno, mas depois tivemos o erro defensivo. Não vi o lance, não sei se é penálti, mas dou o benefício da dúvida ao árbitro e ao VAR.»

Sobre a última jornada: Neste momento o jogo está terminado, podíamos ter feito melhor, mas temos tudo nas mãos para seguir em frente. Vencer o Estrela Vermelha em casa e chegar ao primeiro lugar. Com os nossos adeptos e uma noite à Braga temos todas as hipóteses para chegar à fase seguinte no primeiro lugar. Sobre o passado não podemos fazer nada, mas no futuro dependemos só de nós para chegar ao primeiro lugar. O que estiver ao nosso alcance, vamos fazê-lo”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here