O grupo de hackers Ragnar Locker publicou 581 gigabytes (GB) de dados que alegadamente dizem respeito a 1,5 milhões de clientes da TAP, segundo revelou esta terça-feira o jornal ‘Expresso’. O grupo, que reivindicou um ataque informático no final de agosto à companhia aérea, garantiu que continua a ter acesso aos sistemas informáticos da transportadora.

Moradas, números de telefone e nomes de clientes, além de documentos de identificação que podem ser de profissionais ou parceiros da TAP, estão entre os dados divulgados – foram também colocados disponíveis acordos confidenciais com várias empresas e relações com outras companhias de aviação. A TAP não negociou o pagamento de um resgate que impedisse a publicação dos dados.

“A coisa mais interessante é que eles [a TAP] ainda não resolveram as vulnerabilidades na própria rede e este tipo de incidentes pode acontecer outra vez. Por sinal, se alguém precisar de um acesso remoto à TAP Air [sic], avisem-nos”, pôde ler-se na mensagem deixada pelos Ragnar Locker.

A companhia aérea nacional afirmou, no entanto, que “graças aos sistemas de cibersegurança e à rápida atuação da equipa interna de Tecnologias da Informação, a intrusão foi contida numa fase inicial, antes de provocar danos nos processos operacionais”, garantindo que as operações da TAP estão a “decorrer com normalidade”, esclareceu a TAP à ‘TSF’.

A publicação de dados desta segunda-feira surge pouco mais de uma semana depois de o grupo de hackers ter publicado na Dark Web os dados de 115 mil clientes e informação sensível de profissionais da TAP, como prova dos ficheiros que conseguiu desviar através de alegadas vulnerabilidades nas redes informáticas da transportadora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here