Portugal registou, este domingo, 4788 casos de covid-19. Nas últimas 24 horas morreram 73 pessoas, quando o número de internados está num máximo histórico: 3151.

É domingo, e pandemia parece ter abrandado. Os número agora divulgados pela Direção-Geral da Saúde (DGS), coligidos até à meia-noite de sábado, evidenciam uma quebra entre os novos infetados para um patamar inferior ao do domingo anterior. Os 4788 casos positivos identificados no documento da DGS, além de um decréscimo de 1247 infeções relativamente às 6035 do dia 15, representam, ainda, o registo mais baixo dos últimos 11 dias, com o total de infetados agora em 260758.

Nas últimas 24 horas, os óbitos subiram para 3897, com mais 73 vidas perdidas para a doença: 51 pessoas tinham mais de 80 anos (30 homens e 21 mulheres), 13 tinham entre 70 e 79 anos (oito homens e cinco mulheres), oito tinham entre 60 e os 69 anos (sete homens e uma mulher) e uma pessoa tinham entre 50 e 59 anos (um homem).

A ministra da Saúde admitiu, sábado, que a situação nos hospitais está difícil. Domingo, os números comprovam: são 3151 os internados (mais 126 do que no dia anterior) e 491 os doentes mais graves, com mais seis a darem entrada nas unidades de cuidados intensivos durante o sábado.

Quebra no Norte e em Lisboa e aumento de casos no Centro, relativamente ao domingo anterior

A Região Norte continua a ser a mais afetada, registando mais 3091 casos, para um acumulado de 135363 infeções desde que a epidemia foi detetada em Portugal, a 2 de março.

De um domingo para o outro, registo para uma quebra de novas infeções na Região de Lisboa e Vale do Tejo (RLVT), que desceu abaixo dos mil casos pela segunda vez em 15 dias, hoje, com 844 novos casos, menos 293 que os 1137 do dia 15.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here