Um Primeira parte irrepreensível, dos Guerreiros do Minho leva bracarenses ao 2º Lugar da Liga NOS

O SC Braga venceu hoje o Tondela por 4-2, num jogo da 20.ª jornada da I Liga de futebol em que mostrou uma surpreendente frescura física e uma superioridade quase total, só esbatida na parte final.

Piazón (18 e 50 minutos), Ricardo Horta (40) e João Novais (42), este último candidato a um dos golos do ano, marcaram para os bracarenses, que, sobretudo na primeira parte, ‘sufocaram’ o Tondela, que reduziu por Souley (84) e Jaquité (90+4).PUBLICIDADE

Os minhotos ultrapassam o FC Porto na segunda posição, mas os ‘dragões’ só jogam na segunda-feira [no reduto do Marítimo], enquanto os beirões voltaram às derrotas e marcam passo no último terço da tabela classificativa.

O Braga vinha de uma derrota caseira (2-0) para a Liga Europa, diante da Roma, na quinta-feira, mas de uma vitória na última jornada (nos Açores, por 1-0, ao Santa Clara) e, apesar dos muitos jogos que tem feito no último mês, mostrou uma disponibilidade física que surpreendeu.

Carlos Carvalhal mexeu em meia equipa, lançando cinco novos jogadores em relação ao jogo europeu, e João Novais, com assistências e um grande golo, e Piazón, que ‘bisou’, aproveitaram da melhor maneira a oportunidade.

O Tondela até equilibrou o jogo no primeiro quarto de hora, mas, depois, a equipa da casa pegou no jogo.

Aos 18 minutos, João Novais solicitou Galeno na esquerda, este passou por Medioub e assistiu Piazón, que rematou de primeira para o golo inaugural.

Pouco depois, claríssima oportunidade para o Braga, subdividida em três instantes, dois por Abel Ruiz e outro por Ricardo Horta, mas o segundo golo surgiria aos 40 minutos.

Ricardo Horta ‘fuzilou’ já dentro da área, após mais uma incursão do lado esquerdo e intervenção de Piazón.

Dois minutos depois, chegou o golo da noite, com um ‘tiro’ fabuloso de muito longe de João Novais, que ainda embateu na barra antes de entrar.

O melhor lance do Tondela na primeira parte só surgiu nos descontos, aos 45+1 minutos, com Mario González a ficar muito perto do golo.

Obviamente insatisfeito, o treinador tondelense, Pako Ayestaran, fez uma tripla substituição logo após o intervalo, mas de pouco valeu, porque foi o Braga a entrar novamente muito forte.

Após novo grande passe de João Novais, Piazón desperdiçou excelente ocasião para dilatar o marcador, aos 48 minutos, mas, aos 50, o brasileiro fez mesmo o quarto tento.

Os ‘arsenalistas’ só tiraram o pé do acelerador’ nos últimos 10/15 minutos e, até aí, podiam ter dilatado o marcador.

Aproveitando a menor intensidade, o Tondela surgiu mais afoito no ataque na parte final e reduziu, por Souley, com um belo remate cruzado (84 minutos). No último lance do jogo, Jaquité rematou de fora da área com violência e a trajetória da bola enganou Matheus (90+4).

Declarações de Carlos Carvalhal, treinador do Sp. Braga, na sala de imprensa do Estádio Municipal de Braga, após o triunfo por quatro bolas a duas frente ao Tondela:

[Segundo lugar] «Não me diz absolutamente nada. Zero. O que me diz é a atitude e o comportamento dos jogadores. É fantástico, no contexto onde estamos, passado 72horas a nossa ressaca europeia foi fazer um dos nossos melhores jogos da época, com brilhantismo, a atacar bem e a defender bem, fazendo golos com bom recorte técnico. Soubemos fazer um grande jogo. Andei em várias conferências a falar na densidade de jogos, as pessoas não me estavam a entender. Nenhuma equipa na Europa nos últimos vinte anos fez a sequência que o Sp. Braga fez. Neste momento sinto-me satisfeito porque as pessoas entendem-me. Dois jogos por semana é diferente de jogar em 72horas. Neste contexto a nossa equipa tem estado brilhante mesmo num campo pesado. Ganhámos bem, merecemos ganhar, fomos fortes e intensos».

[Como é que foi trabalhado mentalmente entre jogos europeus] «É um trabalho conjunto, do departamento médico, de toda a gente. Fazemos trabalho a nível de descompressão do sistema nervoso central, que muitas vezes custa mais a recuperar. Temos as nossas estratégias, não as vou dizer, mas trabalhámos muito isso e os jogadores podem nem o sentir».

[Otimismo para a Roma?] «Fizemos o nosso trabalho, já ninguém se lembra do Castro, das saídas de janeiro, do Carmo, da saída do Viana, da lesão do Iuri, do Francisco Moura. São outras pedras no caminho, mas temos conseguido orientar-nos sempre. Tem sido a nossa vida e estou muito satisfeito. Vamos focar no jogo da Roma, pensando que 72horas vamos jogar na Madeira, mais 72 horas depois vamos jogar para a Taça de Portugal no FC Porto. É fruto da responsabilidade que criámos e temos estado bem em todas as competições».

[Zé Carlos] «O problema do Zé Carlos não é o Zé Carlos, o problema chama-se Esgaio, que é uma máquina, reage muito bem, recupera muito bem e é muito competitivo. O Zé Carlos vai jogar seguramente na quinta-feira, o Esgaio não pode jogar e joga o Zé Carlos em Roma».

Declarações de Pako Ayestarán, treinador do Tondela, na sala de imprensa do Estádio Municipal de Braga, após a derrota pesada sofrida por quatro bolas a duas frente ao Sp. Braga:

«No primeiro tempo não estivemos confortáveis em nenhum momento, nem fomos eficazes por fora nem por dentro. Não fomos capazes de fazer o que pedimos à equipa, e o Sp. Braga criou superioridade no lado esquerdo. O resultado na primeira parte foi o que foi porque o Sp. Braga foi muito superior a nós».

[O que é que os jogadores sentem?] «Nunca estivemos confortáveis, a diferença de jogo foi muito grande, tínhamos esperança de poder conseguir fazer algo aqui, mas não foi assim».

[Tondela diferente fora e em casa?] «Creio que hoje foi diferente, mas noutros jogos não foi assim tão diferente. Já tenho falado sobre isso, temos conseguido muito perto de conseguir bons resultados e acabamos por não ser assim tão diferentes fora dos jogos em casa».

Veja aqui os seis golos desta noite:

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Municipal de Braga.

SC Braga – Tondela, 4-2.

Ao intervalo: 3-0.

Marcadores:

1-0, Piazón, 18 minutos.

2-0, Ricardo Horta, 40.

3-0, João Novais, 42.

4-0, Piazón, 50.

4-1, Souley, 84.

4-2, Jaquité, 90+4.

Equipas:

– SC Braga: Matheus, Esgaio, Tormena, Rolando, Borja, Al Musrati (Fransérgio, 58), João Novais, Piazón, Galeno (Sporar, 58), Ricardo Horta (Gaitán, 58) e Abel Ruiz (André Horta, 68).

(Suplentes: Tiago Sá, Zé Carlos, Bruno Rodrigues, Caju, André Horta, Fransérgio, Gaitán, Vítor e Sporar).

Treinador: Carlos Carvalhal.

– Tondela: Trigueira, Medioub (Arcanjo, 46), Enzo Martinez, Ricardo Alves, Tiago Almeida, Pedro Augusto (Rafael Barbosa, 66), João Pedro (Jaquité, 46), Filipe Ferreira, Jhon Murilo (Olabe, 46), Salvador Agra e Mario González (Souley, 79).

(Suplentes: Niasse, Jaquité, Strkalj, Olabe, Mohamed Khacef, Souley, Rafael Barbosa e Arcanjo).

Treinador: Pako Ayestarán.

Árbitro: Tiago Martins (Lisboa).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Enzo Martinez (22) e Arcanjo (72).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here