Arsenalistas somam sete vitórias seguidas na temporada, seis na I Liga.

Sp. Braga suou para vencer neste domingo o Vizela por 2-0, na sétima jornada da I Liga. Em dérbi minhoto, os arsenalistas foram mais felizes com decisão já em cima do minuto 90.

Foi dos pés de Vitinha, que entrou ao minuto 60, que saiu o primeiro golo da partida. Ainda assim, nota para o golo que o Vizela ainda marcou, mas que foi anulado por fora de jogo. 

Ao minuto 89, Matheus teve de se aplicar novamente para evitar o empate. Osmajic esteve perto do golo, mas o brasileiro voltou a negar de forma esplêndida. Quem não marca sofre, diz o ditado e com razão. Numa jogada de ataque rápido, Ricardo Horta encheu o pé à entrada da grande área e atirou ao ângulo da baliza de Buntic.

Com este resultado, o Sp. Braga larga o Benfica e segue no segundo lugar, agora com 19 pontos, os mesmos dois de diferença para as águias. Já o Vizela segue com cinco pontos e fica no limite da zona segura, no 15.º lugar, a um ponto do lugar de playoff de manutenção.

Declarações de Artur Jorge, treinador do Sp. Braga, na sala de imprensa do Estádio Municipal de Braga, após o triunfo (2-0) frente ao Vizela:

«Foi muito importante a questão da persistência, de manter o plano de jogo até ao fim e ter a capacidade de, para além do que fizemos até ao golo – e tivemos imensas oportunidades – acabámos por materializar o nosso ascendente, o nosso domínio, na parte final, trazendo justiça ao resultado»

«Tivemos alguma dificuldade, reconheço que foi um jogo muito difícil para nós, tivemos de lutar contra um adversário bem organizado, com um bloco baixo, tivemos de lutar contra a nossa própria ansiedade, por detalhe acabámos por não fazer golo e tivemos de lutar contra isso. A dificuldade foi lutar contra uma equipa que jogou num bloco muito baixo, à procura de transições. Faltou-nos um pouco mais de profundidade, foi o que pedi aos jogadores ao intervalo. O segundo lugar não traz pressão, traz conforto. Foi muito importante fazer deste ciclo, uma semana com jogos intensos».

Declarações de Álvaro Pacheco, treinador do Vizela, na sala de imprensa do Estádio Municipal de Braga, após a derrota (2-0) frente ao Sp. Braga:

«Penso que ganhou a equipa que foi mais feliz. No nosso melhor momento o Braga acaba por fazer o golo, num ressalto. O jogo teve duas partes distintas. O Braga entrou claramente melhor do que nós, sem bola não estávamos agressivos e compactos. Sentimos, no final da primeira parte, o equilibrar do jogo, já tínhamos mais critério. A segunda parte foi equilibrada, tivemos momentos por cima, tivemos oportunidades para golo, e o Braga faz o golo quando estávamos a criar desconforto, estávamos a ter critério com bola. Faltou-nos a tomada de decisão no último terço, e a felicidade. Mesmo assim, a minha equipa teve uma reação fantásticas. Ganhou a equipa mais feliz, estávamos a falta que a bola entre».

«Este 2-0 não espelha o que foi o jogo. Se não me engano, o Braga teve 22 remates e nós 17. Quem assistiu ao jogo viu que também quisemos ganhar. Quisemos sempre levar o jogo para o meio campo ofensivo. Deixava-me preocupado se nestas sete jornadas sentíssemos que não fomos competitivos em todos os jogos. Estivemos perto de ganhar em todos os eles. Faltam pequenos pormenores, é a bola que bate num pé do jogador, o Matheus faz duas excelentes defensas em que a bola podia ter entrado. Faltou um pouco de sorte. O campeonato está a pregar-nos estas partidas, mas não vamos ficar nesta posição, vamos fixar mais para cima».

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here