13.5 C
Braga
Início Mundo Havia anedotas “picantes” escondidas no Diário de Anne Frank

Havia anedotas “picantes” escondidas no Diário de Anne Frank

Anne Frank tentou esconder duas páginas do seu diário, que continham piadas “picantes” de “referência sexual”, ao colocar papel castanho sobre as páginas do seu caderno vermelho e branco.

Especialistas revelaram o texto escondido com a utilização de novas tecnologias, anunciaram a Casa de Anne Frank e duas outras instituições culturais holandesas na terça-feira, de acordo com o New York Times.

A adolescente judia, que viveu dois anos escondida dos nazis num anexo durante a II Guerra Mundial, terá camuflado as duas páginas por conterem conteúdo lascivo que a adolescente não quereria que o pai descobrisse.

“Às vezes imagino que alguém poderia vir até mim e pedir-me que o ensinasse sobre matérias sexuais”, escreveu Frank. “Como é que eu o faria?”. A adolescente tenta depois dar uma resposta à pergunta colocada, dirigindo-se a um ouvinte imaginário num tom sublime, usando frases como “movimentos ritmados” para descrever sexo, e “medicamentos internos” para se referir à contraceção.

Anne Frank aborda também a menstruação, que considera um sinal de que “está madura”, e a prostituição: “Em Paris, eles têm grandes casas para isso”.

Peter de Bruijn, um dos investigadores que fez a descoberta, diz que as páginas não são importantes pelo seu conteúdo sexual, uma vez que a adolescente explora matérias semelhantes noutras parte do diário, por vezes até com termos mais explícitos. Por outro lado, esta é uma descoberta importante porque mostra a primeira tentativa de Frank de escrever num tom mais literário.

“Ela começa com uma pessoa imaginária com quem fala sobre sexo, por isso, a adolescente está a criar um ambiente literário para escrever sobre um tema com o qual ela não estará muito à vontade”, disse o investigador.

Ronald Leopold, o diretor da Casa de Anne Frank, diz que esta é uma descoberta “muito interessante que acrescenta significado ao diário”.

Às páginas onde a adolescente escreveu sobre educação sexual, Anne Frank acrescentou-lhe ainda as quatro piadas picantes que conhecia. “Sabem porque é que as meninas das Forças Armadas Nazis estão na Holanda? Para servirem de colchões aos soldados”, era uma delas.

As entradas do diário foram escritas a 28 de setembro de 1942, pouco tempo depois de Anne se ter escondido com a família. “Vou usar esta página estragada para escrever anedotas picantes“, escreveu, então com 13 anos, na página que contém ainda algumas frases riscadas.

Sobre a decisão de publicar páginas que a adolescente judia claramente quezapria manter escondidas, a Casa de Anne Frank, em Amesterdão, disse que o seu diário, classificado pela UNESCO como património da humanidade, tem um significativo interesse académico.