Luís Castro e o jogo na Luz: «Ter bola no meio campo adversário seria o ideal»

O grau de dificuldade é elevado, mas Luís Castro acredita num bom resultado no jogo inaugural da Liga, esta sexta-feira no Estádio da Luz. O técnico do V. Guimarães perspetivou o jogo em conferência de imprensa vincando que a derrota frente ao Tondela não terá efeitos neste jogo.

«Vamos ver se é o arranque ideal jogar com o Benfica. O campeonato começa num contexto de dificuldade elevada para nós, em casa de uns dos crónicos candidatos ao título, espera-nos uma tarefa difícil, mas como é normal dizer nestas alturas tudo é possível no futebol. Vamos a jogo com a esperança de conquistar um bom resultado. Achamos que é sempre possível a conquista de um bom resultado», referiu o treinador do Vitória.

No primeiro jogo oficial da época os vimaranenses foram eliminados da Taça da Liga pelo Tondela. Luís Castro diz esperar que «depois de cada tropeço a equipa se possa elevar» para rendimentos elevados. «Temos a consciência de que não fizemos acontecer aquilo que queríamos na Taça da Liga, mas apesar dessa tristeza também temos a consciência que vamos iniciar uma maratona de 34 jornadas que não tem nada a ver com a Taça da Liga. Estamos claramente no campeonato para conseguir uma competição europeia pelo campeonato», vincou.

O Benfica inicia o campeonato a meio da eliminatória europeia com os turcos do Fenerbahçe, algo que no entender do técnico não trará benefícios para os vimaranenses: «Uma coisa são os preconceitos existentes, outra coisa é a realidade. Na realidade isso não existe, as equipas estão focadas no jogo imediatamente a seguir. O Rui Vitória está a preparar a equipa para este jogo, eu estou a preparar a equipa para este jogo. Não há maneira de preparar a equipa para dois jogos».

Depois de durante a pré-temporada ter implementado um modelo de jogo com muita posse de bola, o treinador desconfia que seja possível manter essa matriz neste jogo. «Se projetasse o jogo em teoria diria que o melhor para o Vitória é chegar à Luz e impor o seu jogo no meio campo adversário. O Benfica é uma equipa voltada para o processo ofensivo, claramente. Conseguir ter bola no meio campo adversário é o ideal e aquilo que gostaríamos que acontecesse. A prática o que nos diz é que quando nos queremos impor algo que é nosso do outro lado estará um adversário que quer contrariar isso. Vai sendo isto para os dois lados, existem responsabilidades para os dois lados», disse.

Luís Castro já sabe que não contará com Frederico Venâncio, que se lesionou frente ao Tondela e a recuperação de Pedrão é muito difícil, pelo que terá de apresentar uma nova dupla de centrais.