COVID-19: Minho com 2.474 casos confirmados, mais 77 do que na véspera

O boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde deste domingo aponta para 2.474 casos confirmados, mais 77 do que na véspera.

Os números correspondem aos dados recolhidos até as 24:00 de ontem e comportam os dados incluídos na plataforma SINAVE, podendo pecar por defeito de 15%.

Braga, com 848 (+17 do que ontem) casos confirmados, Guimarães com 398 (+10) e Famalicão com 270 (+11) são os concelhos da região do Minho mais atingidos pela pandemia.

O boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde deste domingo aponta para 2.474 casos confirmados no Minho, mais 77 do que na véspera.

Os números correspondem aos dados recolhidos até as 24:00 de ontem e comportam os dados incluídos na plataforma SINAVE, podendo pecar por defeito de 15%.

Braga, com 848 (+17 do que ontem) casos confirmados, Guimarães com 398 (+10) e Famalicão com 270 (+11) são os concelhos da região do Minho mais atingidos pela pandemia.

Fonte: DGS

O concelho de Barcelos sobe para 174 (+12) casos, Viana do Castelo regista 128 (+1), Vila Verde sobe para 127 (+10), Arcos de Valdevez sobe para 51 (+2), Fafe sobe para 61 (+4), Póvoa de Lanhoso mantém 33, Esposende sobe para 34 (+2), Amares sobe para 34 (+1), Monção mantém 54, Vizela sobe para 53 (+1), Melgaço conta com 32 (+1), Ponte de Lima mantém 22, Vieira do Minho sobe para 25 (+1), Caminha sobe para 13 (+1), Cabeceiras de Basto sobe para 12 (+1), Celorico de Basto mantém 13, Terras de Bouro mantém 8, Valença mantém 7, Paredes de Coura sobe para 7 (+1), Cerveira mantém 6 e Ponte da Barca sobe para 5 (+1).

Todos os concelhos do Minho já têm casos registados no boletim.

Portugal com 714 mortos e mais de 20.000 infetados

Portugal regista hoje 714 mortos associados à covid-19, mais 27 do que no sábado, e 20.206 infetados (mais 521), indica o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Comparando com os dados de sábado, em que se registavam 687 mortos, hoje constatou-se um aumento percentual de 3,9 por cento.

Relativamente ao número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, os dados da DGS revelam que há mais 521 casos do que no sábado, representando uma subida de 2,6%.

A região Norte é a que regista o maior número de mortos (409), seguida pelo Centro (164), pela região de Lisboa e Vale Tejo (126), do Algarve (10) e dos Açores (5), adianta o relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24:00 de sábado.

Das mortes registadas, 470 tinham mais de 80 anos, 151 tinham idades entre os 70 e os 79 anos, 65 entre os 60 e 69 anos, 20 entre 50 e 59 e oito entre os 40 e os 49.

Do total das pessoas infetadas, a grande maioria está a recuperar em casa, totalizando 18.963, mais 531 relativamente a sábado (+2,9%).

Os dados adiantam que 1.243 estão internadas, menos 10 que no sábado (-0,8%), e 224 estão em Unidades de Cuidados Intensivos, menos quatro, o que representa uma diminuição de 1,8%.

Os dados da DGS precisam que o concelho do Porto é o que regista o maior número de casos de infeção pelo coronavírus (1.059), seguido de Lisboa (1.038 casos), Vila Nova de Gaia (1035), Matosinhos (875), Braga (848), Gondomar (834), Maia (744), Valongo (585), Ovar (511), Sintra (493) e Coimbra com 355 casos.

Desde o dia 01 de janeiro, registaram-se 187.604 casos suspeitos, dos quais 4.959 aguardam resultado dos testes.

Há 162.439 casos em que o resultado dos testes foi negativo, refere a DGS, adiantando que o número de doentes recuperados se mantem hoje em 610.

A região Norte continua a registar o maior número de infeções, totalizando 12.148, mais 386 face ao dia anterior, seguida pela região de Lisboa e Vale do Tejo, com 4.500 (mais 62), da região Centro, com 2.863 (mais 60), do Algarve com 310 (mais quatro) e do Alentejo com 158 casos, o mesmo número de sábado.

Os Açores registam 106 casos de covid-19, mais dois que no sábado e a Madeira 61, mais sete.

A DGS regista também 27.947 contactos em vigilância pelas autoridades de Saúde, mais 2.491 do que no sábado.

Do total de infetados, 11.977 são mulheres e 8.229 homens.

A faixa etária mais afetada pela doença é a dos 50 aos 59 anos (3.510), seguida da faixa dos 40 aos 49 anos (3.473), e das pessoas com mais de 80 anos, em que há 3.082 casos.

Há ainda 2.831 doentes com idades entre 30 e 39 anos, 2.444 entre os 60 e 69 anos, 2.149 entre os 20 e os 29 anos e 1.826 com idades entre 70 e 79 anos.

A DGS regista ainda 345 casos de crianças até aos nove anos e 536 de jovens com idades entre os 10 e os 19 anos.

Segundo o relatório da Direção-Geral da Saúde, 171 casos resultam da importação do vírus de Espanha, 130 de França, 82 do Reino Unido, 46 dos Emirados Árabes Unidos, 45 da Suíça, 32 de Andorra, 29 de Itália, 30 do Brasil, 24 dos Estados Unidos, 19 dos Países Baixos, 18 da Argentina, 15 da Austrália e 10 da Alemanha, além de diversos outros casos distribuídos por dezenas de outros países.

De acordo com o boletim, 52% dos doentes positivos ao novo coronavírus apresentam como sintomas tosse, 38% febre, 27% dores musculares, 25% cefaleia, 21% fraqueza generalizada e 16% dificuldade respiratória. Esta informação refere-se a 85% dos casos confirmados.