Gala dos Conquistadores celebrou Vitória por mais 100 anos

A Gala dos Conquistadores que assinalou os 100 anos do Vitória Sport Clube. O Pavilhão Multiusos encheu-se com cerca de 4000 vitorianos, que assistiram a um espetáculo que teve pontos altos como sucedeu no momento em Neno foi eleito como o guarda-redes mais marcante do clube e N’Dinga levantou a plateia num aplauso gigantesco.

Não faltaram antigos presidentes, casos de Pimenta Machado, Emílio Macedo da Silva, Júlio Mendes e Miguel Pinto Lisboa. Mas também estiveram presentes treinadores que deixaram marca nos conquistadores, como Manuel Machado e Manuel Cajuda, que lembrou o ano da subida à Liga e a presença na pré-eliminatória da Liga dos Campeões. Como tal, não tem dúvidas em dizer terem sido no Vitória «os melhores anos da carreira».

A noite foi sendo marcada com a eleição do onze que teve maior impacto nestes 100 anos dos conquistadores. E depois de Neno, que faleceu há mais de um ano, ter sido muitíssimo aplaudido, o nome de N’Dinga mexeu por completo com os vitorianos. O antigo médio mostrou-se extremamente comovido e reconhecido pela forma como foi recebido em Guimarães e recordou alguns dos momentos de quando era jogador.

Os sócios do Vitória foram soberanos e escolheram Neno como guarda-redes do Centenário. Uma decisão que mereceu muitos aplausos, de pé, pelos muitos vitorianos que marcaram presença na Gala do Centenário, que teve como palco o Pavilhão Multiusos.

No setor defensivo, as escolhas foram para Ricardo Pereira (lateral direito), Geromel (defesa central),  Tapsoba (defesa central) e Dimas (lateral esquerdo).

No meio-campo, as opções dos associados recaíram em Pedro Mendes, N´Dinga, também ele muito aplaudido de pé, e Pedro Barbosa. Pedro Barbosa não escondeu a emoção quando lembrou os nomes de Jesus e Basílio, antigos companheiros já falecidos.

No ataque, os mais votados foram foram Vítor Paneira, Raphinha e Paulinho Cascavel. O ponta de lança brasileiro, à semelhança de Neno e N´Dinga, também mereceu uma das maiores ovações da noite.

Rui Vitória, responsável pela conquista da Taça de Portugal, foi a escolha para Treinador do Centenário, numa votação final que ainda tinha os nomes de Manuel Cajuda e Quinito.

Ao som de “Guimarães Allez Allez”,  os adeptos, sempre presentes e apaixonados, também deram festa no espaço que tem recebido grandes espetáculos.

Neno, o “Eterno Embaixador”, também foi lembrado com nostalgia. Vários momentos da sua vida desportiva e pessoal passaram nos ecrãs, captando a atenção e os olhares da vasta plateia. O momento foi acompanhado pela voz de Zé Miguel, que apresentou uma melodia nova para homenagear um dos maiores símbolos na história centenária do Vitória.

Outra das figuras bastante saudada e com lugar no onze foi Paulinho Cascavel. Quando André – o médio é sempre dos apreciados pelos vitorianos -, chamou pelo nome do brasileiro as palmas multiplicaram-se.

Equipa Centenário …

Neno
Ricardo Pereira
Dimas
Tapsoba
Geromel
N Dinga
Pedro Mendes
Pedro Barbosa
Vítor Paneira
Raphinha
Paulinho Cascavel

Treinador: Rui Vitória

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here