O Polidesportivo de São José, em S. Victor, foi requalificado e alvo de uma intervenção de arte urbana realizada pelo artista Contra, tornando-se assim no maior campo de basquetebol de rua da Europa. Esta iniciativa foi promovida pela Câmara Municipal de Braga com a Hoopers, uma plataforma de comunidade para jogadores e fãs de Basquetebol.

O artista Contra transformou esta ´tela´ com cerca de 1000 metros quadrados no maior campo icónico de Basquetebol da Europa. O espaço conta agora com o primeiro campo exclusivo de 3×3 em Portugal, com medidas oficiais e preparado para receber competições da FIBA, e também com campos de 4×4, 5×5 e duas tabelas para treinar lançamentos. 

Ricardo Rio, Presidente da Câmara Municipal de Braga, realçou a transformação desportiva, social e cultural daquele espaço após a requalificação. “Este era um equipamento degradado, que não ajudava em nada à qualidade de vida da população nem servia as colectividades da envolvente. O Município procurou com este projecto criar condições para que se tornasse num espaço vivo, ao dispor do desporto e da população, promovendo ainda o eclectismo desportivo. É também uma obra de arte que a partir de Braga vai correr mundo e contruir para promover a nossa cidade”, disse.

Os trabalhos de intervenção iniciaram-se em Julho e o envolvimento da comunidade foi um dos aspectos fundamentais. O Município estendeu a intervenção às áreas adjacentes do Polidesportivo, nomeadamente com intervenções nos balneários e nas bancadas e no reforço com árvores na zona. O projecto permite a prática do Basquetebol aos Leões das Enguardas, um dos históricos desta modalidade na região, e fomentar a prática informal dos jovens e a dinamização do local por parte dos outros clubes da região.

A Hoopers convidou o artista portuense Contra, alter-ego de Rodrigo Gonçalves e membro do Colectivo Rua, que misturou referências à cidade de Braga, como atesta o predomínio do azul, a cor do brasão local, com o enquadramento daquela área residencial, onde crianças, jovens e adultos uniram-se à evolução do trabalho artístico. Esta intervenção segue um movimento que cresce um pouco por todo o mundo e está relacionado com a pintura de campos de basquetebol e o cruzamento dessa arte urbana com o desporto.

Vitor Dias delegado regional do Norte do IPDJ considera o recinto de “uma interessante ligação do desporto à arte”.

Ricardo Silva um poli-desportivo criado para toda a comunidade que nos orgulha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here